Desempenho Operacional

icone_tiete_eficiencia

GRI G4 EC2

O volume total de energia gerada pelas usinas da AES Tietê em 2015 atingiu 7.928 GWh, um valor 6,5% superior ao ano anterior.

Todas as usinas da empresa estão localizadas no Estado de São Paulo, que foi bastante afetado pelo déficit hídrico dos últimos anos. O nível de armazenamento dos reservatórios das usinas da AES Tietê encerrou o ano com 65,35% da sua capacidade total – superior ao observado em 2014 (34,67%), mas ainda muito abaixo da média histórica. A recuperação do nível dos reservatórios foi retomada ao final de 2015, devido ao aumento das chuvas.

Energia Gerada – MW Médios

Durante quase todo o ano de 2015, a AES Tietê operou com reservatórios no nível médio ou abaixo da média, devido à hidrologia desfavorável. A vazão da usina de Caconde foi reduzida, devido ao baixo nível do reservatório, de forma a impedir seu esvaziamento completo e garantir a de energia pelas usinas de Euclides da Cunha e Limoeiro, localizadas à jusante no Rio Pardo. Diferentemente do que aconteceu em 2014, no período coberto pelo relatório nenhuma usina foi paralisada totalmente. Apenas a usina de Água Vermelha sofreu paradas pontuais em 2015 durante o período da madrugada.

 

Centro de Operações da Geração e Eclusas (COGE)

COGE_002

Localizado em Bauru, o COGE da AES Tietê é responsável pela supervisão, comando e execução da operação das nossas nove usinas hidrelétricas e três pequenas centrais hidrelétricas, que somam 2.658 MW de capacidade instalada.

Seu objetivo é maximizar os indicadores de disponibilidade, confiabilidade e segurança da operação. As equipes do COGE operam e mantêm as usinas dentro dos mais elevados padrões de desempenho exigidos pelo mercado. Para isso, administram diretrizes, recomendações e análises que possibilitam a operação centralizada.

Modernização e manutenção

GRI G4 EU30

De 2015 a 2019 investiremos R$ 480 milhões na modernização dos equipamentos das usinas, contemplando as manutenções gerais em Água Vermelha, Bariri, Barra Bonita e Ibitinga.

Em 2015 investimos R$ 167,7 milhões, destinados principalmente à modernização e manutenção preventiva das usinas de Água Vermelha, Barra Bonita e Bariri para manutenção das suas condições operacionais e assegurar a disponibilidade de geração de energia.

O projeto mais relevante de manutenção teve continuidade na usina Água Vermelha, com a conclusão da manutenção geral e automação da Unidade Geradora 1 e o início dos trabalhos na Unidade Geradora 4. O processo abrange a manutenção das seis unidades da usina e tem previsão de término em 2018.

Promissao_002_menor

A usina de Promissão passou por um processo de automatização que dispensa manutenções mecânicas e permite sua operação remota a partir do COGE. Em vez de acionar equipes das usinas para realizar a parada de máquinas, o operador do COGE realiza o comando pelo computador. Com exceção de Água Vermelha, todas as usinas já possuem essa funcionalidade em suas unidades geradoras. A sua principal vantagem é o atendimento mais ágil às solicitações recebidas pelo COGE do Operador Nacional do Sistema (ONS). Além disso, o acesso remoto permite aos operadores de usinas dedicar mais tempo às inspeções em campo e nas máquinas auxiliares.

Em comparação com 2014, mantivemos o fator equivalente de paradas forçadas (EFOF)³ em 0,25. Durante o ano, o índice de 
paradas imprevistas foi de 1,60%, um aumento de 53,4% quando comparado ao ano de 2014, devido, principalmente, a 
manutenções não planejadas nas UHEs Barra Bonita, Euclides da Cunha e Promissão.

³ Equivalent Forced Outage Factor. Indicador pode variar de 0 a 100.

Teste de vertedouros

O vertedouro é uma estrutura hidráulica por onde a água é liberada quando há aumento dos níveis dos rios e reservatórios. Os vertedouros das usinas hidrelétricas da AES Tietê foram testados em 2015, com exceção das PCHs São José e São Joaquim, que não possuem este tipo de equipamento. Toda a água que passa por essas usinas e não é usada para geração de energia é extravasada em estruturas fixas que mantém o fluxo normal do rio.

Antes dos testes, realizamos a divulgação desta iniciativa para toda a empresa e para veículos de comunicação dos municípios onde as usinas estão localizadas. Os vertedouros são testados anualmente antes do período de chuva, entre agosto e outubro. Devido ao déficit hídrico, tais teste não foram realizados em 2014.