Segurança

icone_tiete_eficiencia

Segurança é o Valor número 1 da AES. Reduzir a ocorrência de acidentes com colaboradores, prestadores de serviço e com a população do entorno das usinas da AES Tietê é nosso compromisso mais importante. Para isso, nossa estratégia prioriza a antecipação aos riscos e ações preventivas que proporcionem as melhores condições de segurança para todos.

Meta Resultado em 2015
Zero acidente fatal com colaboradores próprios e contratados Não houve acidentes fatais com colaboradores em 2015.
Reduzir em 10% as taxas de frequência e de gravidade com colaboradores próprios e contratados em 2015 A taxa de frequência (TF) de acidentes com colaboradores próprios foi de 1,57, enquanto que a TF de acidentes com contratados foi reduzida 71%. 
Zero acidente com a população Não foram registrados acidentes com a população.


Segurança da força de trabalho

Para garantir a confiabilidade e a segurança do fornecimento de energia elétrica é imprescindível que a força de trabalho esteja segura para realizar suas funções.

Diversos riscos estão presentes durante a realização das atividades nas usinas, tais como: realização de trabalhos em altura e serviços envolvendo eletricidade. Para inibir tais riscos, trabalhamos com um Programa de Segurança que qualifica os nossos profissionais para o trabalho de campo e, dessa forma, proporciona uma ambiente mais seguro.

Nossas iniciativas de segurança são baseadas em diretrizes globais da AES Corp., na Política de Sustentabilidade da AES Brasil e no Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (SGSSO), cujos requisitos estão de acordo com as especificações da Occupational Health and Safety Assessment Series (OHSAS, sigla em inglês) 18.001:2007, uma norma internacional com foco na saúde e na segurança do trabalho. Em 2015, foi realizada a auditoria de manutenção da certificação pela certificadora ABS Quality Evaluations.

GRI G4 LA5
A AES Tietê conta com os seguintes Comitês de Segurança:

  • Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) – desde colaboradores da base (técnicos de manutenção e operadores) até diretores, indicados e eleitos. 100% dos colaboradores estão representados pela CIPA, considerando-se que parte dos membros são definidos por eleição;
  • Comitê por Diretorias da AES Tietê – coordenadores, gerentes e diretores indicados;
  • Comitê Integrado da Alta Administração do Sistema de Gestão Integrada – gerentes, diretores, e Vice-Presidentes indicados;
  • Comitê de Segurança do Trabalho AES Brasil – gerentes, diretores, e Vice-Presidentes indicados;
  • Comitê de Sustentabilidade AES Brasil – Vice-Presidentes e Diretor-Presidente.

Indicadores de segurança

GRI G4 LA6

Saúde e segurança no trabalho 2013 2014 2015
TF (taxa de frequência)¹ – colaboradores próprios 0 0 1,57
TF (taxa de frequência)¹ – contratados 5,05 9,62 2,82
TG (taxa de gravidade)² – colaboradores próprios 0 0 0
TG (taxa de gravidade)² – contratados 0 0 0
Acidentes fatais – colaboradores próprios 0 0 0
Acidentes fatais – contratados 0 0 0
Acidentes de trabalho com e sem afastamento – colaboradores próprios 0 0 1
Acidentes de trabalho com e sem afastamento – contratados 6 16 4
Dias perdidos/debitados – colaboradores próprios 0 0 0
Dias perdidos/debitados – contratados 0 0 0

¹ Taxa frequência (TF): expressa o nº de acidentes projetado para um milhão de horas-homem de exposição ao risco.
² Taxa de gravidade (TG): expressa, em número de dias, a perda de tempo resultante dos acidentes ocorridos em um milhão de horas-homem de exposição a risco, reportada de acordo com a NBR14.280.


O aumento na taxa de frequência (TF) de acidentes com colaboradores próprios de 0 em 2014 para 1,57 em 2015 se deve a uma ocorrência que gerou uma lesão de baixa significância em um colaborador da área administrativa.

A taxa de frequência (TF) com colaboradores contratados foi 71% menor do que em 2014 (9,62 vs. 2,82) devido à intensificação das inspeções de segurança, que aumentou a aderência à cultura de segurança por parte dos colaboradores.

Programa de Segurança

Criado para fortalecer a cultura de segurança e diminuir os riscos de acidentes com os nossos colaboradores, o Programa de Segurança da AES Tietê teve as seguintes ações como destaque em 2015:

  • Segurança Baseada no Comportamento: um colega observa o outro na realização de suas atividades. Se algum procedimento for realizado de forma insegura, o observador é orientado a corrigir a ação do colaborador em ação.
  • Campeões de segurança: líderes que se destacam pela sua atuação em prol da segurança são indicados pelos demais líderes da empresa e suas ações seguras são compartilhadas com todos os colaboradores. Em 2015, 3 Campeões de Segurança foram indicados pela AES Tietê.
  • Falando com segurança: um canal de comunicação por meio do qual todos os colaboradores, de forma anônima, podem relatar qualquer assunto que demande alguma ação para prevenção de acidentes ou em prol da saúde e do meio ambiente nas operações.
  • Visitas de segurança: nas “caminhadas de segurança”, gestores de todos os departamentos da AES Tietê verificam as condições de segurança de uma atividade, assim como nas “inspeções de segurança”, que são realizadas pela supervisão operacional. Durante as visitas são passadas orientações aos colaboradores sobre comportamentos positivos e pontos a serem melhorados. Em 2015, foram realizadas 3.067 visitas de segurança.

Em 2016 será iniciado um novo ciclo estratégico para o tema de segurança na AES, com base nos desafios observados nos últimos anos e lições aprendidas. O plano contempla ações nos seguintes aspectos:

  • Novas tecnologias voltadas para a segurança dos processos operacionais;
  • Comportamento, com foco na aplicação de estratégias da psicologia do trabalho;
  • Incremento das ações dedicadas à gestão de empresas contratadas.

Segurança dos fornecedores
Quando o assunto é segurança, os fornecedores da AES Tietê que atuam nas usinas recebem a mesma atenção que os nossos colaboradores próprios.

Nosso maior desafio é reduzir ao máximo as diferenças culturais em relação à segurança, principalmente nos casos de colaboradores contratados que atuam em atividades de maior risco.

Por isso, priorizamos nessas atividades empresas com maior alinhamento de cultura e valores e visando relações de longo prazo.

GRI G4 EU17 / EU18

As atividades de maior risco para os colaboradores contratados pela AES Tietê são categorizadas como serviços de manutenção e/ou 
operação - que em 2015 totalizaram 1.416.910 horas trabalhadas.
Na AES Tietê, todos os colaboradores contratados nesta categoria recebem treinamentos periódicos em saúde e segurança.

Clique aqui e conheça o programa Parcerias Sustentáveis da AES junto aos nossos fornecedores.

Segurança da população

Durante as férias escolares, aumenta o número de frequentadores no entorno dos reservatórios das usinas em busca de lazer, principalmente para nadar e pescar, atividades que apresentam riscos de segurança.

Nesses períodos, realizamos uma intensa campanha de segurança, com a veiculação de mensagens de alerta em mídias locais, assim como ações focadas em informar e conscientizar a população, como a distribuição de folhetos educativos.

As usinas também ficam de portas abertas para receber estudantes das escolas locais para visitas, durante as quais são informados sobre como realizar atividades de lazer sem comprometer a segurança. Em 2015, 1.892 pessoas participaram de visitas às usinas da AES Tietê.

GRI G4 EU25
Nenhum acidente com a população é registrado desde 2009 nos reservatórios das usinas da AES Tietê.

Segurança de barragens

Na AES Tietê, realizamos o monitoramento constante das estruturas de barragens das Usinas Hidrelétricas (UHEs) e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs). Acompanhamos o comportamento das barragens por meio de um conjunto de instrumentos para medição de informações visíveis e não visíveis, como, por exemplo, pressão e vazão da água, e instrumentos de auscultação.

A leitura de tais instrumentos é realizada por equipe de colaboradores próprios e contratados, que também fazem inspeções visuais e visitas a campo. A cada dois meses são elaborados relatórios sobre o comportamento das barragens, além de um relatório anual com a inspeção visual e laudo sobre as condições das estruturas físicas, riscos, eventuais anomalias e planos de ação de forma a garantir que as estruturas se mantenham estáveis.

Possuímos um Sistema Operacional para Situação de Emergência (Sosem) que define procedimentos para as equipes das usinas no caso de enchentes e perigos de alagamentos. Em atenção à legislação atual, encontra-se em curso a atualização do plano de segurança de barragens e dos mapas de inundação que simulam a situação à jusante dos barramentos, no caso de um vazamento ou rompimento devido a uma grande cheia.